Menu Close

Como ser um bom gestor e não apenas dono de agência de viagens

Isabela Braga

por Isabela Braga
Marketing de conteúdo
isabela.braga@monde.com.br

Você sabe como ser um bom gestor?

No mundo das agências de turismo existe um cenário que se repete muito: um bom vendedor, com grande destaque, deixa a equipe para abrir sua própria empresa. Isso é algo que mostra grande iniciativa, não posso negar!

Porém, em muitos casos, o novo gestor tem conhecimento apenas da área de vendas e isso pode fazer com que a agência não sobreviva nesse mercado altamente competitivo.

Segundo um estudo realizado pelo Sebrae Nacional, 24,4% das micro e pequenas empresas fecham as portas com menos de dois anos de existência.

E se tratando de negócios com menos de 4 anos, a porcentagem sobe para 50%.

As causas para esse problema estão ligadas à falta de controle e de domínio de todas as áreas do negócio.

Então, se você é gestor, este conteúdo é para você. Veja os principais erros que levam empresas à falência e fique atento para evitá-los!

Como ser um bom gestor: conheça os principais erros e como evitá-los  

Bom, na introdução eu dei o exemplo de vendedores que se destacam em sua função e resolvem abrir uma agência, pois imaginam que o único pilar que eles precisam dominar é o de vendas.

Mas nessa história de empreender também existem as pessoas que nunca trabalharam em uma agência, mas querem ter seu próprio negócio e acabam optando pelo mercado turístico. 

Seja qual for o cenário, querer ser um bom gestor não é o suficiente para ter sucesso. Conhecer os principais erros cometidos por proprietários nesse mercado pode te ajudar a não entrar para essa porcentagem de empresas que fecham tão precocemente. 

Por isso, se você abriu o seu negócio e quer saber se está no caminho certo, fique atento aos erros que vou citar agora. Você pode se identificar com alguns, e se for o caso, é hora de mudar!

1- Não saber delegar tarefas

Em qualquer empresa, a hora do gestor é valiosíssima e precisa ser utilizada em tarefas que não podem ser automatizadas e que trarão retorno financeiro.

Se você, como novo gestor, pensa “se eu fizer tudo e se todas as tarefas passarem por mim o resultado será melhor”, algo está muito errado. 

Primeiro: se você não confia no seu time para realizar tarefas, o erro já começou na contratação. 

Segundo: delegando tarefas você ganha tempo para pensar como gestor. Ou seja, criar ações estratégicas de marketing, vendas, pós-venda, analisar as finanças da empresa e etc.

Mas Isabela, o que eu posso delegar e o que eu devo executar? 

A resposta para essa pergunta depende de uma reflexão: você está sobrecarregado com tarefas que são operacionais (atualização do cadastro de clientes, ligação de feedback, etc)? 

Por que não delegar isso? A resposta na maioria das vezes revela falta de confiança na equipe, o que é extremamente prejudicial para a sua empresa.

Também é essencial pensar nas tarefas que podem ser delegadas para sistemas. Afinal, a tecnologia pode nos ajudar muito.

Se você calcula a comissão de vendedores manualmente, cria e atualiza relatórios também de forma manual, por exemplo, está na hora de inovar e deixar que uma ferramenta faça esse trabalho!

Importante: delegue e acompanhe 

Bom, agora que você já entendeu que delegar é essencial para que um negócio tenha sucesso, vou falar sobre outro ponto importante, que é acompanhar as tarefas de perto. 

Essa atitude fará com que você se sinta cada vez mais seguro em delegar, pois as chances de erro serão menores. 

Então, gestor, você precisa criar um plano para acompanhar as atividades de perto!

O livro “Supervisão”, de Samuel C. Certo, diz:

“Depois de atribuir as tarefas e a autoridade para executá-las, o supervisor precisa dar ao funcionário liberdade para atuar com independência e criatividade. Isso não significa que o supervisor deve abandonar o funcionário para que ele tenha sucesso ou fracasso por conta própria, afinal, o supervisor é igualmente responsável pelo êxito do trabalho”.

Ou seja, não basta atribuir tarefas e cobrar o funcionário quando o prazo final estiver chegando, é preciso orientar e acompanhar o que está sendo feito.

Dica: o Monde possui um recurso de atribuição de tarefas. Com ele é possível escrever detalhadamente o que deve ser realizado, colocar um responsável e acompanhar a atualização da atividade. 

Além disso, com o sistema você pode limitar o acesso de cada funcionário. Assim é mais fácil delegar sem ter medo de algum erro. 

2- Não buscar melhoria contínua

Pare para pensar em quantos cursos você fez no último mês? Quantas vezes tirou algumas horas do dia para estudar sobre liderança, gestão de pessoas e financeiro? (que são habilidades de um bom gestor). 

Segundo a pesquisa realizada pelo SEBRAE, 53% dos gestores de empresas que fecharam não buscavam informações e novidades com frequência. 

Ou seja, mais da metade não estava preocupada em se atualizar sobre as novidades do mercado, tecnologias, técnicas e processos que poderiam fazer com que a empresa prosperasse. 

Saiba que se manter atualizado é tão importante para manter sua agência em crescimento quanto vender.

Além disso, quando você busca conhecimento, sua equipe se motiva a buscar também. 

A ambição de melhorar tomará conta do seu time. Dê o primeiro passo para implantar essa cultura na sua agência.

3- Pensar só em vender e não ter visão total da agência

Quando um vendedor se torna um gestor, o pensamento dele é que quanto mais vendas, melhor. Esse também é o pensamento de muitos novos gestores, afinal, o objetivo final é o lucro.

Ok, mas como você mede se a agência está mesmo tendo lucro? Só pela quantidade de vendas? Aumentar o lucro da empresa também significa não perder dinheiro, reduzir custos e reinvestir para melhorar a infraestrutura e equipe. 

Então o dono de agência precisa criar uma mente de gestor! Se você pensa em vender, mas não estuda estratégias para que esse resultado seja alcançado, sua empresa jamais terá sucesso.

A visão total da agência envolve:

→ Gestão de pessoas

Se você abriu uma agência de viagens e contratou funcionários, um dos seus papéis é gerenciar o trabalho dessas pessoas. Afinal, eles precisam de orientação para entregar resultados.

Essa gestão vai envolver o acompanhamento da evolução de cada colaborador, estudar e trabalhar os pontos que cada um precisa melhorar (treinamentos constantes), delegar e acompanhar tarefas, etc. 

É uma área importante! Muitas empresas perdem grandes profissionais porque eles não recebem atenção para que consigam se desenvolver e, por isso, se sentem desvalorizados.

Em outras palavras, eles não têm um líder fazendo a gestão de pessoas. E vale lembrar que perder funcionários gera um custo que poderia ser evitado. 

→ Gestão financeira 

Desconhecer os resultados financeiros da sua empresa é muito prejudicial.

Até porque, para tomar qualquer decisão é necessário ter uma visão clara do fluxo de caixa da empresa, ou seja, das movimentações, saber a capacidade de investimento que a agência possui, ter uma projeção financeira para que o caixa não seja prejudicado em um período de queda de receitas, entre outros pontos importantes. 

O gestor não pode, de forma alguma, trabalhar no escuro! Todo dinheiro que entra e sai precisa estar no radar!

→ Gestão de ações de marketing e vendas

Como crescer e ganhar visibilidade no meio online sem investir em marketing? 

Atualmente é extremamente difícil ter bons resultados sem anunciar no Google e sem estar presente nas redes sociais. 

Mas essas ações demandam planejamento, estudo e ação, o que, consequentemente, leva tempo. Esse é mais um ponto que o gestor precisa pensar: como vou fazer minha agência ser conhecida? Para vender você precisa ser visto, certo?

E, além desse ponto, quando um gestor está focado apenas na quantidade de vendas, ele deixa de lado as estratégias para vender mais. 

O foco fica em captar clientes de qualquer forma e tentar vender empurrando o produto, mas essas ações realizadas sem planejamento não trarão o resultado esperado. É necessário pensar, planejar e só depois agir!

4- Não planejar 

E pensando no ponto que citei acima, já vou entrar no perigo que é para a saúde da agência um gestor que não planeja. 

Como eu disse, se você quer vender mais, precisará criar ações para que isso aconteça. Só querer não é suficiente. 

Se você quer reduzir as despesas do seu negócio, precisa criar um plano de redução. 

Para resumo, todos os seus objetivos precisam de um planejamento estruturado para que sejam alcançados.

Bom, para te ajudar, vou deixar abaixo um infográfico com alguns passos para criar um bom planejamento.

como ser um bom gestor de agência de viagens

E como ser um bom gestor?

Para finalizar, vou deixar algumas dicas para você:

1- Você precisa conhecer seus pontos fortes e fracos e os da sua equipe também. 

Admita que você é bom em algumas coisas e não tão bom em outras. Quando você conseguir colocar no papel esses pontos negativos, estude maneiras de melhorá-los. 

2- Busque automatizar tudo o que for possível. Estamos na era da tecnologia e um bom gestor precisa buscar inovação! Pesquise e esteja por dentro dos sistemas que podem facilitar o seu trabalho e te dar mais tempo para pensar estrategicamente!

Se você quiser se aprofundar mais nesse assunto de liderança e mente de gestor, assista a uma palestra completa e gratuita sobre o tema clicando aqui. 

Agora você pode deixar de cometer esses erros em sua agência e se tornar um gestor ainda melhor! Compartilhe esse blog post com seus colegas agentes de viagens. Vamos fortalecer esse mercado. E qualquer dúvida, pode deixar nos comentários. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Webinar Google meu negócio --> EbooK Instagram -->
[CDATA[*/function read_cookie(a) {var b = a + "=";var c = document.cookie.split(";");for (var d = 0; d < c.length; d++) {var e = c[d]
[CDATA[*/function read_cookie(a) {var b = a + "=";var c = document.cookie.split(";");for (var d = 0; d < c.length; d++) {var e = c[d]